Arquivos do Blog

Anna Danilina e Spencer Papa se sagram campeões dos 18 anos no Banana Bowl

Um dia após ser campeã de duplas do Banana Bowl no Itamirim Clube de Campo, a cazaque Anna Danilina conquistou neste sábado o título de simples na categoria 18 anos feminina do mais tradicional torneio juvenil do tênis brasileiro ao vencer a sueca Ellen Allgurin por 2 sets a 1, com parciais de 6/4, 4/6 e 6/3.

Danilina começou dominando a partida abrindo 4/1 logo no primeiro set, mas viu Allgurin equilibrar o duelo vencendo três games seguidos. A cazaque aproveitou a chance de quebra que teve logo na sequência para fechar a parcial. Após o triunfo da sueca no segundo set, Danilina novamente controlou as longas trocas de bolas e garantiu o título.

“Ela (Allgurin) jogou muito bem, no primeiro set até abrir 4/1 eu joguei muito bem, mas ela passou a jogar melhor. Eu estava nervosa, querendo acelerar o jogo, mas depois consegui me recuperar e jogar bem. Eu estava cansada, mas tentei dar o meu melhor”, comemorou Anna Danilina.

Na final masculina, o norte-americano Spencer Papa, convidado da organização do Banana Bowl, mostrou uma atuação impecável no saibro para bater o italiano Pietro Licciardi por 2 sets a 0, com parciais de 6/3 e 6/2.

Papa, de 16 anos, começou a partida jogando de forma agressiva e aproveitou suas chances de quebra para abrir vantagem no primeiro set. Com um bom controle nos pontos decisivos, Papa garantiu o título no segundo set.

“Foi minha primeira vez na América do Sul, joguei cinco semanas seguidas. Semana passada no Paraguai cheguei às quartas de final e aqui fui campeão. Fiquei satisfeito desde o início. Eu amei o torneio e amei o Brasil”, comemorou Spencer Papa.

Papa foi o quinto tenista dos Estados Unidos a vencer a chave masculina de 18 anos no Banana Bowl. Os outros haviam sido John McEnroe, em 1977, Bill Stanley, em 1983, David Witt, em 1990, e Andy Roddick, em 2000.

“Eu sei que este é um torneio muito grande e estou muito feliz por ter conseguido vencer”, completou Spencer Papa.

Confira todas as imagens das finais dos 18 anos no 42º Banana Bowl

Saiba mais sobre Anna Danilina e Ellen Allgurin, as finalistas do Banana Bowl

 

Allgurin e Danilina confirmam domínio europeu e duelam na final do Banana Bowl

Ellen Allgurin (foto) joga a final contra Anna Danilina

A sueca Ellen Allgurin, de 17 anos, e a cazaque Anna Danilina, de 16 anos, duas jovens representantes do tênis ofensivo, decidem neste sábado, às 13h (de Brasília) o título de simples feminino da categoria 18 anos do 42º Banana Bowl na quadra central do Itamirim Clube de Campo, em Itajaí.

Cabeça de chave 9 do torneio, Danilina tem menos experiência, mas fez uma campanha na qual perdeu apenas um set passando por adversárias como a norte-americana Katrine Steffensen, a argentina Victoria Bosio, a ucraniana Marianna Zakarlyuk e finalmente a norte-americana Chalena Scholl.

Scholl vinha de dois títulos da Gira Cosat, no Paraguai e no Uruguai, ambos diante da brasileira Beatriz Haddad Maia, mas foi superada na disputa da semifinal por 2 sets a 0, com parciais de 6/3 e 7/5.

Do outro lado da chave, a sueca Ellen Allgurin mostrou um jogo eficiente e chegou à decisão com o total de 15 games perdidos em cinco partidas, sem ceder nenhum set diante da britânica Georgina Sellyn, a mexicana Mariana Zacarias, a equatoriana Domenica Gonzalez e a argentina Maria Vega, vencida com parciais de 6/2 e 6/0 na semifinal.

Allgurin e Danilina já demonstraram talento em outros eventos, não à toa que a sueca tem a carreira agenciada pela Octagon e no ano passado disputou seu primeiro WTA em Bastad, na Suécia. Danilina nasceu na Rússia, onde mora até hoje, mas foi procurada por dirigentes do Cazaquistão e passou a defender o país. Ela joga embalada pelo título de duplas do Banana Bowl, que conquistou ao lado da polonesa Zuzana Maciejewska nesta sexta-feira com parciais de 6/1 e 6/2.

No único duelo disputado pelas europeias, Ellen Allgurin saiu vencedora em março do ano passado em Manila, nas Filipinas, em 2 sets a 1, com parciais de 7/5, 6/7(3) e 6/4.

“Eu gosto de jogar no saibro, é meu piso favorito e eu gosto de estar aqui no Brasil e chegar à final é bom para mim, tem um bom clima, tudo é bom. A semifinal foi uma partida dura para mim, joguei o primeiro set muito bem, e no segundo set minha adversária jogou muito bem, mas talvez eu tenha tido mais sorte e ganhei a partida”, afirma Anna Danilina, 37ª do ranking mundial juvenil da ITF.

Comparada por muitos à russa Maria Sharapova devido ao porte físico e ao jogo agressivo, Ellen Allgurin promete demonstrar um jogo veloz e ofensivo para buscar o título do 42º Banana Bowl em Itajaí.

“Estou me sentindo bem, vou tentar jogar agressiva, fazer o meu jogo. muitas pessoas dizem que eu pareço com Sharapova, Hantuchova e Wozniacki, mas acho que deve ser porque eu sou loira”, brinca a tenista sueca que ocupa a 31ª posição no ranking juvenil ITF.

Resultados
Anna Danilina d.  Chalena Scholl (EUA), 6/3 7/5
Ellen Allgurin d. Maria Vega (ARG), 6/2 6/0

Veja as fotos das partidas desta sexta-feira na categoria 18 anos do Banana Bowl

Duplas brasileiras perdem semifinais na categoria 18 anos do Banana Bowl

Imagem

A brasileira Beatriz Haddad Maia não conseguiu disputar sua segunda final seguida de duplas na Gira Cosat e perdeu na semifinal ao lado da paraguaia Montserrat Gonzalez para a parceria formada pela cazaque Anna Danilina e a polonesa Zuzanna Maciejewska por duplo 6/4.

As sul-americanas haviam conquistado o título na etapa de Assunção, no Paraguai, e eram cabeça de chave 1 nas duplas femininas do Banana Bowl. Anna Danilina e Zuzanna Maciejewska enfrentam na final a dupla formada pela peruana Ferny Angeles Paz e a norte-americana Katrine Isabel Steffensen, que venceram a parceria da boliviana Maria Ines Deheza e a argentina Maria Constanza de las Me Vega na semifinal por 6/4 4/6 11-9.

Nas duplas masculinas, a parceria brasileira formada por Gabriel Friedrich e André Napolitano perdeu para os peruanos Jorge Brian Panta Herreros e Daniel Santos por 2 sets a 1, com 6/4 4/6 10-6. O italiano Gianluigi Quinzi e o argentino Christian Garin garantiram a outra vaga na final com a vitória por 6/2 6/4 sobre o argentino Pedro Cachin e o francês Quentin Halys.

Maria Vega vence Laura Pigossi e define semifinais femininas dos 18 anos no Itamirim

Após interrupção causada pela chuva, a brasileira Laura Pigossi foi derrotada pela argentina Maria Constanza de las Me Vega por 2 sets a 1, com 2/6, 7/6(6) e 6/4, na última partida das quartas de final da categoria 18 anos feminina do 42º Banana Bowl no Itamirim Clube de Campo, em Itajaí, e encerrou a participação do Brasil em simples no mais tradicional torneio juvenil do país.

Laura Pigossi não conseguiu manter o ritmo do primeiro set contra Vega. Crédito: Marcelo Ruschel

Laura Pigossi dominou o primeiro set da partida e venceu a parcial por 6/2 sem encontrar problemas com o jogo da adversária e também começou na frente no segundo set, chegando a ter dois match points no 5/3, mas a argentina conseguiu reagir e levou a segunda parcial do jogo para o tie-break e venceu por 7/6(8-6).

Com a disputa levada ao terceiro set, Pigossi manteve um duelo equilibrado com Vega, mas a chuva atrapalhou as tenistas e forçou a interrupção da partida, que foi retomada após 2h40min. Na volta da partida, a tenista argentina levou a melhor e conseguiu fechar a partida em 6/4 para ir à semifinal.

Maria Constanza de las Me Vega vai enfrentar na semifinal a sueca Ellen Allgurin, que não perdeu nenhum set no torneio. Allgurin venceu nesta quinta-feira a equatoriana Domenica Gonzalez por 2 sets a 0, com duplo 6/2.

A outra semifinal será disputada entre a norte-americana Chalena Scholl e a cazaque Anna Danilina. Scholl vem de dois títulos na Gira  Cosat e nesta quinta-feira eliminou a cabeça de chave número 1 do torneio, a paraguaia Montserrat Gonzalez, com parciais de 7/5 e 6/2. Danilina venceu a ucraniana Marianna Zakarlyuk por 2 sets a 1, com 6/4, 0/6 e 6/4.

Veja as imagens desta quinta-feira no Banana Bowl no Itamirim

%d blogueiros gostam disto: